Frutíferas em Vasos

Frutíferas em Vasos

O prazer de colher e saborear uma fruta colhida no pé não precisa ser apenas de pessoas que moram em fazendas ou casas com terrenos maiores. É possível ter árvores frutíferas em quintais menores e até mesmo varandas.

Pés de Pitanga, Acerola, Goiaba, Araçá, todos os Citros, Romã, Jabuticaba, Cajueiro, Maracujá e videiras (com treliça de apoio) estão entre as opções que podem ser cultivadas em vasos.

Além de estarem em alta no paisagismo, quem não ama uma fruta diretamente do pé. É também encantador ver os frutos surgindo.

ESCOLHENDO SUA FRUTÍFERA

Tudo começa com a escolha adequada da espécie. Primeiro é importante avaliar quais espécies são adequadas para o ambiente.

Depois é de grande importância a aquisição de uma muda sadia , produzida por propagação vegetativa, como alporques, enxertia, estaquia e etc. Isto garante que a produção de frutos seja mais rápida, pois algumas espécies demoram mais que 20 anos para produzir frutos se tiverem sido produzidas por sementes.

COMO PLANTAR

Para todas elas, recomendamos escolher vasos que tenha no mínimo 3 vezes o tamanho do torrão.  Lembramos que o tamanho do vaso limita o crescimento. Quanto maior o vaso, mais espaço para se desenvolver e crescer.

1. Forre o fundo do vaso com manta bidim para evitar que resíduos saiam do vaso.
Não utilize panos de algodão ou qualquer material de origem orgânica. Ele irá se decompor, deixando de evitar que o substrato saia.

2. Coloque uma camada de drenagem para garantir que o solo fique bem drenado. Pode utilizar argila expandida, brita ou até mesmo cacos de vasos.


3. Após preparar a camada de drenagem, cubra novamente com a manta bidim ou o material que tiver utilizado.

4. Insira um bom substrato para receber sua frutífera.

5. Plante sua frutífera tomando cuidado para não afundar a planta mais do que o necessário. Aperte o substrato com a ponta dos dedos.

6. Regue sua planta.

DICAS PARA SUA FRUTÍFERA

É importante alimentar bem sua frutífera para mantê-la saudável e produzindo frutos.

  1. Adube a cada 15 dias com Forth Fruta dissolvendo 10 gramas para cada 1 litro de água.Regue de acordo com o tamanho do vaso.
  1. Indicamos uma vez por mês adubar com foliar  Forth Fosway
  1. A cada 3 meses fazer uma adubação com 500 gr de Húmus de minhoca mais 50 gr de calcário.
Espada de São Jorge – Dicas de Uso e Cuidados

Espada de São Jorge – Dicas de Uso e Cuidados

A Espada de São Jorge é conhecida também como: Rabo-de-lagarto, Sansevéria e Língua-de-sogra. Uma curiosidade, em inglês também utilizam este último nome (Mother-In-Law´s Tongue). O nome científico é Sansevieria trifasciata .

escritorio com espada sao jorge

Imagem encontrada no Pinterest

A Espada-de-São-Jorge é originária da África. Muitos a procuram em nosso Horto devido a cultura popular de protegr o ambiente, outras pessoas relatam trazer prosperidade. Entre as inúmeras plantas que atribuem esta característica, ela está entre as mais belas.

espada de sao jorge decor 2
sanseveria espada de sao jorge-copper-pots

Além de bela, a espada-de-são-jorge é uma excelente opção para quem não tem muito tempo para cuidar de plantas ou ainda não está muito familiarizado com elas por ser uma planta extremamente resistente.

Esta planta é resistente ao esquecimento da rega, assim como ao frio e calor e exige poucos cuidados.

O ideal é cultiva-la ao sol ou meia sombra, mas pode ser utilizada dentro de casa, em local bem iluminado. O crescimento será um pouco mais lento utilizando-a como planta de interior.

É preciso ter cuidado com os animais de estimação para que não comam suas folhas. Uma boa opção neste caso é utiliza-la suspensa ou ter plantas como clorofila, erva de gato ou outras ervas próximas, pois os animais certamente irão preferir estas plantas.

espada de sao jorge suspensa

A espada-de-são-jorge ela está entre as 19 plantas indicadas pela NASA para purificar o ar, sendo elegida a mais versátil da lista. É ou não é para amar?

Rega correta! Dicas práticas!

Rega correta! Dicas práticas!

Uma dúvida constante que recebemos é sobre rega.

Não existe uma forma exata para determinar a quantidade de água e frequência de rega de uma planta.

A quantidade e frequência da rega depende de alguns fatores:
a espécie vegetal (o tipo de planta)
as condições climáticas (principalmente a umidade relativa do ar)
o substrato que a planta está plantada (por ex. quanto mais arenoso, maior a drenagem e precisará de regas mais frequentes).

IMPORTANTE: o excesso de água é mais prejudicial que a falta, o melhor a fazer é sempre observar a planta.

DICAS
– na hora da rega é importante não deixar a água escorrer pois isso indica excesso.
– observar se a planta está com falta de água. O sintoma principal é a murcha
– sempre observar a umidade do substrato, mas não a superficial, pois as raízes estão subterrâneas.

CONHECE O TESTE DA VARINHA?
Enfie um palito de churrasco na terra e veja se ela sai sujo e úmido, caso sim não precisa regar. Caso saia seco e praticamente limpo, é hora da rega!

Post escrito com orientações feitas por Lucas Oliveira, Engenheiro agrônomo sócio fundador do grupo @casaflorapaisagismo e parceiro do Horto das Acácias

Palmeira Raphis – fácil de cuidar

Palmeira Raphis – fácil de cuidar

A Palmeira Raphis foi utilizada no paisagismo primeiramente pelos japoneses. Conhecida também como Palmeira Rápis ou Ráfia, compõe bem tanto jardins orientais quanto tropicais.

Esta planta que pode ser utilizada no sol pleno, meia sombra ou sombra. No sol suas folhas que costumam ser verde escuras e brilhantes ficam mais claras e, em alguns casos, podem amarelar

A Palmeira Raphis é muito utilizada na decoração de ambientes internos. No entanto, esta planta prefere ambientes úmidos e não tolera ambientes fechados com ar condicionado por muito tempo. Também não tolera geadas.

Apresenta muitos caules, revestidos por uma fibra rústica.

A Raphis requer poucos cuidados. Gosta de solo úmido, mas não encharcado. Não é necessária poda, recomenda-se apenas retirar eventuais folhas secas. A adubação uma vez ao ano é suficiente. Possui crescimento lento e em caso de excesso/falta de água sua recuperação também será lenta. Pode chegar a 4m de altura.

Bambu da sorte – como cuidar e simbologia

Bambu da sorte – como cuidar e simbologia

O bambu foi tão útil à sociedade chinesa que até serviu de metáfora para boa conduta. Um cavalheiro, escreveu Bai Juyi (772-846), deve estar sempre ereto como o bambu e ser igualmente forte. E assim como o caule do bambu era oco, o cavalheiro perfeito devia manter sua mente aberta, sem preconceitos nem pensamentos secretos.

BAMBU DA SORTE
Bambu da Sorte! Em chinês conhecido como Fu (sorte e fortuna) Gwey (poder e honra) Zhu (bambu).

Muito utilizado no feng-shui por acreditar que traz energia positiva através da união dos elementos água e madeira. Conhecido por movimentar a energia parada ou aumentar o fluxo Chi (energia positiva) no lar.

Na China, é comum presentear com bambus da sorte com um laço vermelho (acrescentando o elemento fogo) para desejar saúde, paz e prosperidade ou para comemorar o “novo” (casa nova, novo emprego, inaugurações, entre outros).

O NÚMERO DE HASTES INDICA DIFERENTES SIGNIFICADOS:

  • 2 hastes amor e sorte em dobro;
  • 3 hastes – fu (felicidade), Soh (vida longa), Lu (prosperidade);
  • 5 hastes prosperidade (cobre todas as áreas que podem lhe trazer prosperidade: emocional, intuição, mental, física, espiritual);
  • 6 hastes prosperidade e vantagens para trazer fortunas;
  • 7 hastes traz boa saúde;
  • 8 hastes como o som da palavra oito em chinês crescimento, também ligado a fertilidade;
  • 9 hastes grande sorte;
  • 10 uma vida plena;
  • 21 hastes simbolizam benção divina (grande saúde e prosperidade).

*Obs: Evite presentear com apenas 1 haste ou 4, seu significado está ligado a morte.

COMO CUIDAR
Para cuidar do seu Bambu da Sorte é simples, utilize água filtrada, certifique-se de sempre manter a água, esta planta gosta de luminosidade, mas não deve receber sol diretamente.

Fonte Curiosidades e a Importância do Bambu: LAWS, Bill .50 Plantas que Mudaram o Rumo da História. ed. Sextante 2013

Fonte sobre utilização no Feng Shui – Love to Know Feng Shui

Azaléa ou Azaleia – Como cuidar

Azaléa ou Azaleia – Como cuidar

No Brasil muitos a chamam de azaleia. Deriva de azálea, termo oriundo do latim azalea criado por Lineu em 1735, que, por sua vez, se origina do gregro azalea (forma feminina de azaléos, azaléon que significa, “seco”, “árido”).

Este tipo de azaléa (japônico, asiática ou anã), proveniente da ásia, floresce duas vezes ao ano, no outono e na primavera.

Planta de sol, mas pode ser preciso adapta-la ao sol, dependendo de como foi cultivada.

A azaléa, ou azaleia, pode ser encontrada nas cores branca, vermelha, rosa ou a mistura destas cores.

SIMBOLOGIA
É uma planta associada a perseverança e alegria. A perseverança pois apesar da sua delicadeza, é um arbusto resistente. A alegria porque mesmo uma pequena Azaléa ilumina e dá alegria ao jardim ou espaço.

LENDA
Uma bela lenda chinesa relaciona esta planta ao amor. Uma antiga lenda conta que um imperador chinês, era capaz de vencer inúmeras batalhas, mas não encontrava um grande amor. Todas as noites o imperador sonhava com uma mulher belíssima, mas não a conhecia nem conseguia encontra-la.

Após vencer uma árdua batalha, um mercador lhe ofereceu uma linda planta, a Azaléa. Após plantar a Azaléa nos jardins do seu palácio, o imperador encontrou a mulher que lhe dos seus sonhos e casou-se com ela. De acordo com a lenda, o casal tomava diariamente um chá feito com as flores Azaléa para manter o seu amor sempre acesso.

(ATENÇÃO! Não há nenhuma comprovação de que o chá possa realmente fazer isto, nem que seja benéfico para a saúde. É apenas uma lenda! Não indicamos a utilização como chá.)

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this